10/11/2023 às 19h04min - Atualizada em 10/11/2023 às 19h04min

A bola da vez

Quando terei tempo de fazer as coisas que quero, como ir nas ruínas do Estádio Godofredo Cruz e ver o que tem lá dentro e não dá para ver quando passo de ônibus?

 

Espio e vejo uma mesa no Terapia’s Bar, do botafoguense Assis. Também tenho de arrumar um tempo para visitá-lo. O bar e o amigo botafoguense, pequeno grande homem Assis.

 

Nesta visita vou levar uma foto que tiramos, Assis, eu, Gildo Henrique e Alexandre Henriques, no Estádio Godofredo Cruz, meses antes dele ser demolido.

 

Morre um estádio de futebol histórico e são construídas novas farmácias. O mundo, as pessoas e, consequentemente, o futebol, estão doentes.

 

Quando que a Venezuela teria o mesmo número de pontos do Brasil nas Eliminatórias para a Copa?

 

Copa? Sim! De 2026. Mas ainda estamos em 2023. Acabamos de vir de uma Copa em 2022.

 

Pausa. Minha filha mais nova Júlia, de 9 anos, gosta de álbuns de figurinhas das Copas.

 

Você colecionava álbuns de figurinhas?

 

Eu colecionei até do Campeonato Italiano, que era o melhor da Europa na época.

 

Passava na Band quando ainda era Bandeirantes.

 

Do tempo do narrador Januário de Oliveira.

 

“Tá lá um corpo estendido no chão”.

 

Frase de uma música de Aldir Blanc.

 

Ambos morreram recentemente. Blanc em 2020. E Januário em 2021.

 

Mas não vamos terminar falando de morte.

 

Vamos falar de coisa boa.

 

Para quem pensa que o futebol campista morreu, uma notícia:

 

O Sapucaia, o “Sapuca”, o “timão da moda”, a “alegria do povão” está na ativa.

 

Mais detalhes em breve.

Link
Tags »
Leia Também »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://maiscampos.com.br/.